Adoração ou Diversão

Esta não é uma simples questão de época ou de gerações. É mais do que isto. É uma questão de espiritualidade, de maturidade e de conhecimento. As pessoas vêm à igreja para um encontro com Deus, e não desejam que determinados entretenimentos tomem o lugar da verdadeira adoração. Os que desejam entretenimento podem encontrá-lo a qualquer hora na televisão, no teatro ou no cinema onde isto lhes será oferecido abundantemente. Claro que na vida cristã, existe também lugar para diversão saudável e pura, porque o povo de Deus precisa de tempo para sorrir e descontrair-se. O que queremos acentuar nessa reflexão, é que adoração e diversão nunca podem andar juntas. Seriedade e ordem que antes eram sustentadas como valores prioritários na adoração ao Todo-Poderoso, estão sendo secundarizadas hoje por alguns segmentos religiosos e em alguns setores de nossa própria igreja. O povo de Deus não vai à igreja em busca de divertimento. O que está em jogo aqui é aquela coisa preciosa que chamamos de espiritualidade. O homem espiritual treme diante de Deus e de sua Palavra, e possui um elevado conceito sobre cada elemento da verdadeira adoração, como parte dos seus cultos. Por exemplo: as leituras bíblicas, as orações, os cânticos, as mensagens e até a tonalidade das vozes quando se canta ou se ministra a Palavra. Tudo isto deve estar voltado para um sentido essencialmente espiritual e santo no culto a Deus. Por isto Paulo recomendou: ‘‘Se vivemos em espírito, andemos também em espírito.’’

Pr. Ozeas Correia dos Santos

Anúncios

Publicado por

Pr Ozeas Correia dos Santos

Ainda como seminarista se afeiçoou da então secista Genilda Barros dos Santos, com a qual contraiu núpcias no dia 28 de novembro de 1969. Nesse abençoado matrimônio Deus o aquinhoou com quatro filhos: Adoniran Judson, Livingston Davis, Oseias Kalley e Lílian Patrícia. Todos integrados nas Igrejas do Senhor Jesus. Esses o privilegiaram com nove netos: Lilian Raquel, Hillary Katteryn, Evellyn Patrícia, Gabriel Arthur, Matheus Kalley, Lais Isabelly, Steffanie Gabriele, Andrey Kalley e Livingston Ozeas. Após o seu 1º pastorado de pouco mais de dois anos em Natal, Pr. Ozéas assumiu o pastorado da Primeira Igreja Batista de Vitória no dia seis de fevereiro de 1970, onde permaneceu até 30 de junho de 1985. Foi nesse período que concluiu a sua licenciatura plena em filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco, atuando por 12 anos como professor no Colégio Municipal 3 de agosto e por 2 anos na Faculdade de Formação de Professores da Vitória (FAINTVISA) da qual teve o privilégio de ser um dos seus fundadores. Tornou-se sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico da cidade de Vitória de Santo Antão, e em 19 de maio foi homenageado com o título de cidadão vitoriense conferido pela Câmara Municipal desta cidade. No âmbito denominacional, por vários anos atuou como membro da então Junta da Convenção Batista de Pernambuco, e por uma semana lecionou Administração Eclesiástica aos formandos de Teologia no Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil. Em julho de 1985 assumiu o pastorado da 2ª Igreja Batista de Aracaju, na qual permaneceu por dez anos. No campo sergipano, exerceu o mandato de Presidente da Convenção Batista Sergipana em cuja assembléia desafiou o campo sergipano a hospedar a 75ª Assembléia da Convenção Batista Brasileira, fato que aconteceu em janeiro de 1994. Foi o idealizador e fundador do Instituto Teológico Batista Sergipano, que anos depois se transformou em Campus Avançado do Seminário Teológico Batista do Norte. Durante quase todo o seu tempo em Aracaju, atuou como membro da Junta Administrativa do Seminário Teológico Batista do Norte, da qual teve o privilégio de ser vice-presidente e 1º secretário. Em julho de 1995 reassumiu o pastorado da Primeira Igreja Batista de Vitória de Santo Antão. Nesse novo pastorado o Pr. Ozéas implantou uma nova dinâmica administrativa, através de uma profunda reforma estatutária na qual foram instituídos o Conselho Administrativo, um sistema ministerial integrado e um moderno Regimento Interno que tem servido de modelo para muitas outras igrejas. Foi através desse que foram criadas oficialmente duas instituições filiadas: A Sociedade Mortuária Mista Cristã e a Associação Assistencial Educandário Batista da Vitória. No âmbito secular o Pr. Ozéas desempenhou a função pública de Secretário Adjunto de Planejamento da Prefeitura Municipal da Vitória durante os anos de 2000 a 2004 e também atuou como colunista de importantes órgãos de comunicação como O Jornal da Vitória e a Revista Total. Foi nesse período, fundador e presidente da Ordem dos Ministros Evangélicos da Vitória, institucionalizada em 19 de março de 2004. Em todas essas ações e em tantas outras teve sempre a ajuda imprescindível de sua fiel companheira de todos os momentos, sua esposa e amiga Genilda Barros dos Santos, a qual antes mesmo do casamento já servia a esta Primeira Igreja Batista como secista concluinte na área da música e da Educação Religiosa. Hoje em uma nova etapa de vida ministerial, é pastor emérito da Primeira Igreja Batista em Vitória de Santo Antão-PE e reside em Aracaju-SE, atuando no âmbito acadêmico e denominacional Batista. A Deus nosso Pai toda honra e toda glória.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s